Fashion Revolution: Atelier Lull recebe oficinas gratuitas de moda em abril; inscrições já estão abertas

**Atualizando: as inscrições foram um sucesso e tivemos que encerrar! ** A Fashion Revolution Week chega a Salvador na sua segunda edição com oficinas gratuitas para as pessoas que se interessam por moda e pelo impacto da cadeia produtiva da indústria têxtil. O evento acontece entre os dias 26 e 29 de abril, mas será […]

Read more »

Olá, sou Ana Fernanda. Eu não sou fashionista. Também não sou blogueira de moda – pelo menos, não esse tipo de blogueira que a gente está acostumada a ver por aí, com pinta de celebridade, roupas caras e frequentadora de semanas de moda. Sou uma jornalista que há anos trabalha no terceiro setor, ao mesmo tempo em que lançava um olhar de desejo e curiosidade para o campo da moda, mas que ficava com um pé atrás, por não compactuar com os valores do consumo que a grande mídia de moda pregava.

Em 2012, meu filho nasceu. E me dei conta de que eu precisava encontrar um jeito de realizar esse sonho ou passaria a vida me perguntando como teria sido… Os anos atuando em organizações sociais me ajudaram a sair da caixa e criar a minha forma de trabalhar com moda, muito além das capas de revista. Estudei no Senac, na EnModa Escola de Empreendedores, na Consultoria de Imagem Priscila Seijo e na Closet Inteligente Consultoria – espaços que me deram a régua e o compasso na lida com a moda e que, ao mesmo tempo, me deram asas para que eu trilhasse meu próprio caminho.

Moda e Justiça são duas palavras que eu não imaginaria ver de mãos dadas. Seja porque eu não via nenhuma relação entre elas; seja porque eu as via como opostas. Quanto mais eu remexia na danada da Moda, mais injustiças eu via. O problema não estava apenas no consumo, mas também na extração da matéria prima e no descarte – ou seja, tava tudo errado em toda a cadeia produtiva. O jeito era andar pelada?

Mas, de olho na utopia, não parei de caminhar. Involuntariamente, entrei nessa seara. Como consultora de estilo, disse a cada uma das minhas clientes: você não precisa comprar mais! Aprendi a costurar – e ensinei a outras mulheres o básico do manejo da máquina de costura. Montei um Ateliê para falar que comprar de quem faz é melhor do que comprar da China. Como jornalista, assumi a tarefa de levar mais informação sobre moda onde quer que eu estivesse. Tornei-me representante do Fashion Revolution na minha cidade, Salvador. E passei a acreditar na moda como força para um mundo melhor.

Missão

Ajudar mulheres que querem adotar práticas de consumo mais conscientes, éticas e responsáveis no campo da imagem, estilo, moda e cuidados pessoais. Ajudo você a cuidar de você sem deixar de cuidar do que realmente importa.

Mudou?

Vira e mexe, a vida muda. Por um tempo, tudo fica um caos, mas no final dá tudo certo – é ou não é? O problema é que, nessas horas, a gente costuma se colocar no último lugar da lista das prioridades. Mas deixa eu te contar uma coisa: quando a nossa autoestima está em dia, qualquer desafio fica mais fácil de ser encarado. Então, se a vida mudou, que tal a sua imagem acompanhar essa transformação?