Tecido de folhas de abacaxi no MET Gala 2017

Depois de sofrer muito procurando pela Emma Watson entre as fotos do MET Gala 2017 – é sério gente, alguém a viu? Não acredito que ela não foi! – eu já estava convencida de que não tinha acontecido nada de interessante por ali. Vocês sabem que nosso trabalho NÃO é acompanhar celebridades, mas esses são espaços de grande visibilidade para causas como a de uma moda mais justa. E algumas celebridades sabem usar direitinho os holofotes para mandarem seus recados.

Mas eu já tinha até esquecido do MET Gala e dou de cara com uma foto da Livia Firth por lá. Entre outras coisas, Livia é a idealizadora do #GreenCarpetChallenge, que desafia celebridades a usarem peças desenvolvidas de forma ambientalmente correta nos eventos. (No MET Gala 2016, Emma Watson usou um vestido cuja matéria prima era PET reciclado – entenderam o porquê de eu estar aflita procurando por ela?)

Livia Firth, idealizadora do #GreenCarpetChallenge, em seu vestido de Piñatex.

 
Livia Firth foi ao MET Gala com um vestido de Piñatex – uma alternativa vegetal ao couro. O material é feito das fibras de folhas do abacaxi, cultivado nas Filipinas e enviadas para uma empresa de acabamento têxtil na Espanha, onde a matéria-prima se transforma em Piñatex (por que esse processo não é feito todo nas Filipinas, eu pergunto? Talvez seja uma questão de tecnologia, talvez estejamos aqui de novo diante do quadro “países ‘pobres’ oferecem matéria-prima que será beneficiada e vendida mais caro por países ‘ricos'”). O desenvolvimento foi de Dra. Carmen Hijosa e equipe.

Ah, sim! Gisele Bundchen também participou do #GreenCarpetChellenge. O vestido que ela usou no MET Gala 2017 era de seda orgânica.

Gisele era co-hostess do evento e foi de seda orgânica.